por Jake McTigue* | InformationWeek EUA, 12/07/2010 
fonte: http://www.itweb.com.br/noticias/index.asp?cod=69890&utm_source=itweb&utm_medium=portal&utm_content=tickersite


Dominio dos desktops virtuais mudará a forma como seus funcionários interagem. Ainda não se sabe é se isso irá ajudar a empresa a economizar
Engenheiros de virtualização podem listar as diversas maneiras pelas quais os desktops virtuais podem cortar gastos enquanto também resolvem problemas. Mas não estamos questionando os benefícios em infraestrutura – na verdade, acreditamos que VDI deve acabar por entregar segurança e gerenciamento de dados muito melhor -, só que os CIOs devem entender que ROI depende, inteiramente, da habilidade da TI em integrar processos de negócio com as funções unicas de VDI. Se você tiver a dinâmica certa, VDI deve render retorno significativo. Mas implemente a tecnologia sem o planejamento adequado e você acabará gastando muito mais se defendendo de usuários decepcionados. 
Felizmente, temos um processo de oito passos para te ajudar a avaliar o potencial do retorno em uma implementação de VDI, examinando a estrutura corporativa, a atual adoção de virtualização, segurança, produtividade dos funcionários, suporte, recuperação de desastre e economia de energia. 

1. Determine se o custo para uma equipe de data center mais especializada pode ser compensado pela necessidade de menos profissionais para administrar os desktops. Uma coisa que a maioria dos early adopters com quem trabalhamos concorda é que construir e manter imagens de desktops virtuais e resolver problemas de VDI exige uma equipe de TI bem treinada. Implementar um número de imagens idênticas de estações de trabalho em grupos reduz a quantidade geral de trabalho exigida para manter desktops, mas a experiência técnica das pessoas que realizam essas funções deve aumentar de forma drástica. Se você já usa técnicas de imagem para simplificar e homogeneizar as estações de trabalho, sua equipe deve se adaptar com facilidade à manutenção e resolução de problemas em VDI. 
2. Aponte o quanto de personalização de desktop é necessário. Os melhores candidatos para VDI são as empresas que não têm muitos grupos de usuários e cujos funcionários trabalham com requerimentos uniformes de aplicativos. Em empresas pequenas, alguns funcionários executam mais de um papel, portanto, seus desktops são muito adaptados; isso significa que muitas imagens precisarão ser mantidas. E isso se traduz em complexidade de gerenciamento no data center. 

3. Verifique seu nível atual de adoção de virtualização. Se você já tiver virtualizado até servidores, a virtualização de desktops se torna uma proposta mais atraente por diversas razões. Seja seu fornecedor Citrix, Microsoft, Sun ou VMware, as chances são de que seus servidores virtuais existentes podem ser usados para fornecer tolerância a falhas e melhor disponibilidade para desktops virtuais. Em alguns casos, em que o ambiente de servidores é subutilizado, pode ser possível até mesmo suportar VDI com a compra mínima de servidores adicionais.  
4. Determine sua postura de segurança e compliance em relação aos desktops. Se segurança é de suprema importância, a virtualização de desktop pode trazer grandes melhorias, além de economia. Ao centralizar recursos de desktop em um data center seguro, se torna muito mais fácil evitar que informações sigilosas deixem a empresa. É claro que, dependendo do uso de somente thin clients ou antigos PCs misturados, os dados ainda podem vazar por meio de mídia flash, discos rígidos removíveis e outros periféricos, portanto, software de segurança de endpoint tradicional ainda deve ser implementado em conjunto com VDI. 

Além disso, thin clients usam apenas alguns protocolos para formar e manter conexões com imagens de desktop dentro do DC, em contraste com os desktops tradicionais que podem usar centenas de protocolos diferentes, dependendo do aplicativo. Menos protocolo sempre resulta em melhor segurança. 
5. Decida se irá comprar thin clients ou se continuará com PCs. Sim, comprar thin clients adiciona um custo considerável à implementação de VDI, mas, usar os PCs já existentes como endpoints de desktops virtuais tem muitos aspectos negativos.  

Primeiro, a segurança avançada proporcionada por VDI é impedida porque os dados podem ser escondidos localmente. Segundo, a equipe de TI ainda terá de realizar manutenção nos PCs físicos além de manter as imagens dos desktops virtuais. E, por fim, você perde toda a economia de energia proporcionada pelo thin client, o que pode ser muito importante para grandes empresas. 
O lado negativo do thin client, é claro, é que o dispositivo não pode ser usado offline. Os usuários de desktops que perdem a conexão com a internet podem não conseguir acessar recursos de rede, mas podem usar alguns aplicativos, trabalhar em cópias locais de arquivos e conseguir completar alguma tarefa. Para os locais em que o cliente endpoint é um computador e não um thin client, alguns fornecedores oferecem tecnologia de desktop virtual offline, por uma taxa extra. 
6. Você está disposto a colocar as políticas no lugar e fortalecê-las? Para realizar a promessa de redução de gastos com suporte, você precisa moldar as políticas para VDI. Por exemplo, um usuário com direitos administrativos que instala software acima da imagem base destinado a ele irá perceber que esse software não estará lá na próxima vez que checar o desktop virtual. As políticas devem ser implementadas para garantir que os dados nunca se acumulem nas imagens de desktop, mais uma vez, porque eles serão perdidos quando o desktop for reiniciado. Pastas e documentos devem ser redirecionados para o compartilhamento em rede, e-mails devem ser armazenados nos servidores e os usuários devem ter acesso restrito aos drives locais; caso contrário, você corre o risco de perder dados que nenhuma fita de backup poderá salvar. 
7. Determine se uma estratégia de recuperação de desastre em endpoint pode render economia, porque imagens de desktop e configurações são armazenadas em seu SAN, junto com outros dados críticos de negócio e essas imagens podem ser reproduzidas ou salvas em backup diretamente do DC. Em caso de desastre, estações de trabalho podem ficar online em um DC secundário, possivelmente, há quilômetros de distância, e os funcionários sequer notariam. Isso é o que chamamos de ROI. 
8. Calcule o potencial para economia de energia. Para grandes empresas, com centenas de desktops, só a economia de energia já pode justificar a adoção de desktops virtuais. O consumo de um thin client comum, com um monitor LCD, é de 100 watts. Desktops tradicionais consomem entre 2 e 5 vezes essa quantidade de eletricidade. Os fornecedores pegarão esses números e te dirão que você vai economizar X watts de energia por terminal, porém, esse cálculo não pode ser realizado, já que a carga de trabalho de seu aplicativo de desktop irá consumir energia via servidor. 
A boa notícia é que, ao ajustar a carga de trabalho do seu DC, você pode operar os servidores dedicados a VDI com altas taxas de utilização, o que, mais pra frente, maximiza a economia de energia e a eficiência. 

*Jack McTigue é gerente de TI da Carwild e consultor sênior de engenharia de rede na NSI.  

Compartilhar: