por Felipe Dreher
17/06/2010
Focada em automação, companhia reestruturou completamente sua operação depois da venda da unidade de impressoras para a Elgin

Fabricante de soluções de automação, a brasileira Schalter aposta na produção de thin clients, dispositivos que substituem desktops e apoiam-se na arquitetura de computação centralizada, e quiosques de autoatendimento para fechar 2010 com faturamento na casa dos R$ 5 milhões, dobrando o resultado alcançado no ano anterior.

Até 2004, a companhia produzia impressoras fiscais e de cheques. A unidade foi vendida para a Elgin. Feita a transição tecnológica, a fabricante reposicionou seu nicho de atuação para atacar os novos mercados.

“Viemos crescendo bastante desde a reestruturação da empresa”, comenta Valtuir Fraga Caetano, diretor técnico da Schalter. Hoje, aproximadamente 60% da receita projetada originam-se dos negócios com thin clients. O executivo lista como clientes a montadora Honda, a rede de lanchonetes McDonalds, a Brigada Militar do Rio Grande do Sul (para um aplicação embarcada na viatura).

A meta, contudo, é inverter um pouco essa equação. Nos tempos que vendia impressora, a empresa chegou a faturar por volta de R$ 1 milhão por mês. “Queremos alcançar esses volumes em menos de dois anos”, projeta Caetano, definindo que o mercado de quiosques configura-se como principal pilar dessa estratégia por terem margem melhor e baixa concorrência no mercado nacional.

Compartilhar: